Nus Se Terra - Nus Se Komunidadi - Nus Se Adranse - Nossa Herança

.

welcome, bonbiní, bienvenue, ようこそ, bienvenido, selamat datang

.

"Pintura"

Colabore connosco

Salvem a nossa cultura - Salvasang kum nus se kultura - Save our culture

Comunidade Kristang (cristã)

Atravessei o oceano em direcção ao Oriente.
Cheguei a Malaca onde os portugueses atracaram os barcos há 500 anos.
Aqui continuam bravos e orgulhosos das nossas tradições.

BEM VINDOS(as) AO PORTUGUESE SETTLEMENT

Alma Portuguesa




































"Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.
Deus quiz que a terra fosse uma.
Que o mar unisse, já não separasse.
Sagrou-te, e foste desvendando a espuma,

E a orla branca foi de ilha em continente,
Clareou, correndo,até ao fim do mundo,
E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgir, redonda do azul profundo.

Quem te sagrou criou-te português.
Do mar e nós em ti nos deu sinal,
Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez.
Senhor, falta cumprir-se Portugal!"

Poema de Fernando Pessoa

©Projecto Povos Cruzados - Futuros Possíveis © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © ALL RIGHTS RESERVED

5 comentários:

  1. Pessoas lindas e humildes, vaidosas e vistosas nos seus trajes «portugueses», espontâneas na sua emulação pelo folclore português, assumidas nas suas marcas de contemporaneidade e de vistosidade. Qualquer «folclorista» daqui diria que estamos perante uma degradação dos processos de representação, um «pastiche». Todavia, quem já esteve em Malaca como eu (eu apareço na última fotografia, naquele Museu do Bairro Português), sabe quanto é genuína e verdadeiramente interiorizada esta representação de nós, aqueles sinais exteriores do nosso Minho, aquela luminosidade do nosso Algarve, aquela mistura de pormenores da nossa emigração. Vistos a dançar, assumem ainda mais toda a dimensão de si próprios, numa postura corporal e coreográfica que une a Malásia a este rectângulo europeu. Povo de misturas, povos com raizes. O fulgor de uma identidade! Depois, para terminar, ainda mais o encanto da Cátia que assim, e tão bem, soube apanhar pessoas para melhor ensinar a língua portuguesa. Fico emocionado, fico sem palavras. O pormenor dos pés descalços decorre dos rituais de entrada no Museu, como em casa particular. Só falta mesmo ouvir-se a música! Parabéns a todos.

    ResponderEliminar
  2. Meu amigo José...

    Lembras-te de questionar como é que conseguiam dançar com estas roupas e com tanto calor?

    De entrarmos pelas lojas em Malaca e procurar tecidos mais suaves?

    As imagens são os nossos olhos, são a nossa alma e identidade portuguesa.
    "É promessa de vida no nosso coração".

    Concordo, só falta mesmo ouvir-se a música.
    Fazes falta.

    ResponderEliminar
  3. :)
    As fotos fizeram-me pensar no folclore e nos trajes da terra do meu pai: Viana do Castelo. A menina tem ao pescoço o coração da Rainha em filigrama :) Os trajes estão lindos e todos claro.
    Parabéns!
    Acho que já ouço música e tudo!

    Jocas gordas
    Lena

    ResponderEliminar
  4. muito bom mesmo.

    Parabéns pelo trabalho

    p.s: o Fernando Pessoa, ás vezes deixa-me de rastos quando "junta" certas palavras!

    ResponderEliminar
  5. estas fotos até arrepiam! o império da língua portuguesa!

    ResponderEliminar